FIVELAS/FAVELAS

 

 

Amarras sempre existiram

A História revela

 

Os fatos sempre se repetiram

Rolaram na mesma tela

 

Os erros nos quais insistiram

Causaram insanáveis sequelas

 

Quantas sociedades sucumbiram

À custa de tantas mazelas

 

Excluídos que não resistiram

Foram os pioneiros das favelas

 

Governos cruéis oprimiram

O povo com palavras belas

 

As propagandas sempre mentiram

Levaram vantagens com elas

 

Opositores que forças mediram

Sempre agiram com cautela

 

Aqueles que não partiram

Ocuparam a mesma cela

 

Os que sempre riram

Fazem parte da mesma panela

 

Hoje, os que confundiram

Têm brasão de armas na fivela

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

ALERTAS INVISÍVEIS

 

 

 

Para quem tiver olhos e ouvidos

 

Numa noite, de doze anos, poucos tiveram num mesmo pesadelo a visão do futuro sombrio

 

Agora, infiltrados na organização, aqueles poucos que mal dormiram sabem que precisarão permanecer de olhos abertos

 

São apenas películas desprendidas para aqueles que dormem em berço esplêndido

 

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

SER-ARANHA

 

 

 

Vi um garoto numa cadeira de rodas vestido de homem-aranha

 

Não estava vestindo azul nem fantasiado de herói másculo

 

Estava vestido de criança querendo ser feliz

 

Apenas ser criança

Apenas ser humano

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

PRIMEIRO

 

 

 

Sol, para iluminar o caminho do novo

 

Vento, para afastar o medo do novo

 

Água, para purificar o corpo para o novo

 

Banhar-se, para acordar para o novo

 

Chuveiro, piscina, mar, chuva

 

Com os dois pés no chão, para ter equilíbrio para o novo

 

Primeiro dia

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

ÚLTIMO

 

 

 

Dia derradeiro

 

Sob o sol, o ano dissolve-se e aguarda o último suspiro

 

Assim que o último giro completar-se, a corrente será enrolada no atracadouro dos anos passados

 

Por último, o bastão será passado à mão do novo

 

Disparará, e caberá a nós acompanhá-lo

 

 

Não quero ser de novo a mulher do sapo

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

EXERCÍCIO

 

 

 

Ordem

Progresso

Ordem

Unida

Ordinário

Marche

Deixe um comentário

Arquivado em POEMAS

MINISTRO MILICO

 

 

 

J       á raiou

 

A      liberdade no horizonte do Brasil…

 

I       sso será letra morta com o novo

 

R     egente da Educação

 

Deixe um comentário

Arquivado em ACRÓSTICOS